A Prefeitura de Coronel João de Sá havia publicado, na página do Facebook, às 10h40, um aviso aos moradores. “Devido ao iminente risco de rompimento da barragem, as famílias que residem na margem do rio do Peixe deveriam ficar em estado de alerta”, dizia o comunicado.

Uma hora e meia depois, às 12h10, a prefeitura disponibilizou um número de emergência (75 9-9987-3416) para contato via WhatsApp. Escolas do município e quadras esportivas estão disponíveis para receber os moradores, informou o órgão.

A Defesa Civil do Estado da Bahia informou que enviou uma equipe para a cidade com o objetivo de reduzir os danos. A previsão é de que quando o nível da água comece a diminuir, as equipes comecem a atuar na estrutura.

A ANA (Agência Nacional de Águas) afirmou, por meio de nota, que a barragem Quati é de responsabilidade do governo da Bahia. Disse, também, que tomou conhecimento do rompimento, mas, por se tratar de um rio estadual, a “fiscalização desse açude não compete à ANA, e sim à autoridade competente no Estado da Bahia”.

O Ministério do Desenvolvimento Regional emitiu nota informando que às 13h59 de hoje foi enviado alerta pelas equipes do Cenad (Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres) via SMS para a população do local, reportando o risco de atingimento do município e recomendando a evacuação das áreas próximas ao rio.

O Corpo de Bombeiros de Paulo Afonso e as equipes da Defesa Civil estão sendo deslocadas para a região. Além disso, as equipes de monitoramento e operações do Cenad estão em contato com os agentes locais para avaliar a necessidade de apoio complementar por parte do governo federal.

As equipes estaduais estão preocupadas com o risco de chegada da onda de cheia à barragem do Gasparino, que possui grande reservatório de água e que já está com todas as comportas abertas.

Procurado pela reportagem, o governo da Bahia ainda não se pronunciou.