Cândido Mendes: Desfile de 7 de Setembro encanta e traz grande número de pessoas

Parada da independência na cidade de Cândido Mendes foi marcada por muita emoção, encanto e participação maciça da comunidade, que participou prestigiando as mais diversas homenagens prestadas aos temas escolhidos por cada instituição de ensino. As escolas Municipais Cantinho Especial, Rolmelson Robson, Jalil Jorge, Iraci Teixeira Jorge, Lêda Tajra, Luis Viana e a Escola Estadual Djalma Cruz presentaram com muito compromisso, fidelidade aos temas, e acima de tudo, preocupação em satisfazer as pessoas que saíram de suas residências para prestigiar e abrilhantar a linda festa estudantil em comemoração a independência do Brasil. Momentos de muitas emoções foram registrados nas várias homenagens ao saudoso professor Eliseu Costa, que em muito contribuiu para a educação e formação jovem em Cândido Mendes. Um docente que de forma tão rápida e precoce partiu deixando muitas saudades. Registramos aqui nossos parabéns a toda a classe docente, discente, administrativa das escolas, familiares e amigos, que somaram esforços para a realização desse prazeroso momento, onde o povo brasileiro reafirma sua independência!

Funcionário público de Cândido Mendes é confundido com assaltante em loja em Governador Nunes Freire e relata constrangimento

O funcionário público da cidade de Cândido Mendes, Pulquerio Batista Filho, foi confundido com assaltante ao fazer uma compra na Loja JÔ SURF SHOOP de uma chinela para o filho,localizada nas margens da BR 316, N°1546,ao lado do Hotel Palmeiras em Governador Nunes Freire, na tarde da última terça-feira (21). Ao Blog, ele relatou o constrangimento que passou. “Não gosto nem de descrever o que aconteceu. Um cara que paga seus impostos, ter uma arma em cima de você e todo mundo olhando. Eu não sei o que dizer, a minha cabeça está a mil. Que tipo de assaltante compra um chinelo e paga por ela R$ 72 reais e sai?”, contou Pulquerio.
Pulquerio relatou ainda que estava acompanhado pelo seu filho de 14 anos e viveu momentos de terror. Fui ordenado a deitar-me no chão com arma em punho direcionada a mina cabeça. O caso foi registrado na Delegacia da cidade de Governador Nunes Freire.
Na tarde desta segunda feira Pulquerio emitiu uma nota de repúdio e disse que entrará na justiça por Injuria e Danos Morais. Veja a nota
 
NOTA DE REPÚDIO
Ao retornar de Pinheiro Ma, na terça-feira dia 21/08/2018 por volta de 15:00h. Vindo de recebimento do meu PIS, resolvi vir por NUNES FREIRE, após sair de uma oficina mecânica fazendo um reparo em minha moto entrei em uma loja para comprar algumas coisas a meus filhos. 
Ao desembarcar retirei o capacete deixei na moto e sem boné entrei.Já dentro da loja percebi que a Gerente saiu e ao retornar trouxe um homem que com uma pistola em punho me abordou e revisitando não se identificou nem me solicitou identificação. Ao perceber que eu não tinha arma e que estava comprando disse que era apenas uma manobra de prevenção e se foi. Continuei e fiz acompra de apenas uma chinela no valorde R$ 72,00.
Ao sair da mesma deparei com uma multidão gritando pega que os ladrões saíram da loja e olhando percebi homens posicionados em posição de tiro armados então 2 dos homens me ordenaram ao gritos ”deita ladrão cala a boca ladrão…” me fizeram 
deitar na Piçarra e um deles pisou em minha cabeça apontando uma pistola mandava ”te cala ladrão…”
A população também dizia ”mata, joga pra nós vamos linchar…” aí foi quando saiu a moça vendedora e aos gritos dizia ”não ele é apenas cliente está desarmado já foi investigado, não tem perigo, não façam isto…”
Assim sendo os homens recolheram as armas e logo
desapareceram simplesmente. Fui salvo por esta pois
acredito que iriam me levar e ”sal” como sabemos.
Mas, o que mais me repugna foi a covardia dos responsáveis gerente e outra mulher do caixa que calaram e poderiam ter interferindo imediatamente e covardemente não o fizeram. 
Após ter sido deixado pelos homens armados que novamente não me encontraram vo arma e que tudo não passava de mau entendido e o povo já ter acalmado notei que o proprietário desta loja JÔ SURF SHOOP O SR. VALDERLY GOMES DA FONSECA, QUE INCLUSIVE É PAI DO PREFEITO DE NUNES FREIRE, cidade do ocorrido.
O referido SR. não se conformando acredito pra se justificar perante a opinião pública, continuou gritando ” ladrões, aqui é F, aqui é quente, vão roubar pro inferno, bandidos, sai daqui enquanto estou te vendo , desaparece da cidade imediatamente senão vão ver o que vai acontecer..” mesmo dizendo que tinha comprado ele dizia que não precisava do meu dinheiro lá e me recolocando em situação de risco não me permitiu pegar a nota fiscal da compra… Tive que passar num ”corredor do inferno” aos gritos de populares ”derruba da moto, vamos matar, linchar…”
Em alta velocidade passei e direcionado para a estrada em alta desapareci da cidade.
Dia seguinte estive de volta com um advogado e fui muito bem recebido por todos. Posteriormente fomos na delegacia tomar as providências que serão protocoladas em CÂNDIDO MENDES MA.
O Sr VALDERLY, PAI DO PREFEITO E PROPRIETÁRIO NÃO APARECEU. SOUBE QUE ELE É EXTREMAMENTE EXAGERADO E AUTORITÁRIO. TALVEZ NÃO QUERENDO DAR A MÃO A PALMATÓRIA CONTINUOU COM A CALÚNIA E O CONSTRANGIMENTO A MINHA PESSOA E AO ACOMPANHANTE QUE PASSOU PELO MESMO PROCESSO. 
SOU FUNCIONÁRIO DA PREFEITURA DE CÂNDIDO MENDES MA DA ÁREA DE SAÚDE (COORDENADOR DE REDE DE SAÚDE )CIDADÃO COMUM E GASTO MEU DINHEIRO EM QUALQUER COMÉRCIO LEGAL.
LOJA JÔ SURF SHOP além de desrespeitar os clientes, funciona na ilegalidade pois não fornece NOTA FISCAL AOS CLIENTES, CONSTATADO PELO ADVOGADO QUE EXIGIU E ELES SÓ PODIAM FORNECER UM RECIBO MANUAL SEM QUALQUER CARIMBO. PERANTE AO JUIZ QUERO UMA JUSTIFICATIVA PARA TUDO ISTO INCLUSIVE PARA O CONSTRANGIMENTO E DANOS MORAIS…
PULQUERIO BATISTA FILHO 
 
CÂNDIDO MENDES -MA

CÂNDIDO MENDES: O Ministério Público do Maranhão requer execução de TAC que estabelece reforma de 10 escolas municipais

Escola tem estrutura precária

O Ministério Público do Maranhão (MPMA) requereu, em 26 de julho, a execução de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado, em maio de 2017, com a Prefeitura de Cândido Mendes, tratando da reforma de escolas da rede municipal de educação.
O TAC estabelece a reforma de 10 escolas da rede municipal de educação, incluindo a Unidade Integrada Professor Luís Viana e a Unidade Escolar Iracy Teixeira Jorge, que são especificamente citadas na ação.
A ação e o TAC foram formulados pelo promotor de justiça Márcio Antonio Alves de Oliveira. Além do representante do MPMA, o acordo também foi assinado pelo prefeito José Ribamar Leite de Araújo (mais conhecido como Mazinho Leite) e pelo vice-prefeito Jofran Costa.ESCOLA 3 Cândido Mendes

ATRASO
O caso mais grave é o da Unidade Escolar Iracy Teixeira Jorge, cujas obras deveriam ter sido concluídas em 1º de dezembro de 2017. Quanto à Unidade Integrada Professor Luís Viana, o prazo para entrega das obras de reforma expirou em 10 de junho deste ano.
No caso da primeira escola, alunos e professores usam uma casa vizinha para aulas. O local não possui ventiladores; não há banheiros suficientes; quadros negros não são afixados na parede; o teto não possui forro e as salas de aula não têm portas.
Considerando-se a data de 13 de agosto, o atraso no cumprimento do TAC contabiliza 255 dias no caso da Unidade Escolar Iracy Teixeira Jorge e quando se trata da Unidade Integrada Professor Luís Viana, o atraso é de 64 dias.
PEDIDOS
Na ação, além de requerer que o Município conclua a reforma das escolas, o MPMA também solicita que seja estabelecida multa de descumprimento no valor de R$ 1 mil diários. Entretanto, tal multa acumula-se àquela definida no TAC original.
O Ministério Público também solicita a citação do prefeito José Ribamar Leite de Araújo e do vice-prefeito Jofran Costa para que paguem os valores de R$ 62,7 mil e R$ 41,8 mil, respectivamente, em função do descumprimento do TAC.

CÂNDIDO MENDES: Polícia Militar alerta para golpe de dinheiro falso na cidade

A Polícia Militar de Cândido Mendes, comanda pelo Sargento Salles torna público um alerta sobre notas falsas circulando no município e possivelmente na região.

“Foi identificado notas falsas circulando na cidade de Cândido Mendes, se você recebeu notas falsas procure a polícia militar.”
Finalizou.

Segundo o art. 289 do Código Penal – Decreto Lei 2848/40

Art. 289 – Falsificar, fabricando-a ou alterando-a, moeda metálica ou papel-moeda de curso legal no país ou no estrangeiro:
Pena – reclusão, de três a doze anos, e multa.

– Nas mesmas penas incorre quem, por conta própria ou alheia, importa ou exporta, adquire, vende, troca, cede, empresta, guarda ou introduz na circulação moeda falsa.

– Quem, tendo recebido de boa-fé, como verdadeira, moeda falsa ou alterada, a restitui à circulação, depois de conhecer a falsidade, é punido com detenção, de seis meses a dois anos, e multa.

– É punido com reclusão, de três a quinze anos, e multa, o funcionário público ou diretor, gerente, ou fiscal de banco de emissão que fabrica, emite ou autoriza a fabricação ou emissão:

I – de moeda com título ou peso inferior ao determinado em lei;

II – de papel-moeda em quantidade superior à autorizada.

– Nas mesmas penas incorre quem desvia e faz circular moeda, cuja circulação não estava ainda autorizada.

Segundo o Banco Central, Existem pelo menos dez pontos de diferença que facilitam a identificação de uma cédula que não é verdadeira. É importante ficar atento à textura do papel, que é mais áspera que o papel comum, o autorrelevo e veja a marca d’água.

Ao segurar a cédula contra a luz, pode-se observar se aparecem as figuras que representam os animais. Nas notas de R$ 10 e R$ 20 os números mudam de cor. Todas as notas contêm um fio de segurança. As de R$ 50 e R$ 100 também possuem uma faixa holográfica, que fica no canto da cédula.

O Banco Central disponibiliza um aplicativo que pode ajudar a tirar algumas dúvidas. Ele não reconhece se uma cédula é falsa ou verdadeira, mas auxilia na identificação dos elementos de segurança. Além do aplicativo, o Banco Central dispõe de uma página na internet que ajuda a identificar notas falsas.

Cândido Mendes: Ministério Público pede a quebra de sigilos bancário e fiscal de prefeito e da advogada Edna Andrade

A iluminação pública precária de dois povoados de Cândido Mendes motivou o Ministério Público do Maranhão (MPMA) a requerer, em Ação Civil Pública por ato de improbidade administrativa, a indisponibilidade dos bens e quebra de sigilos bancário e fiscal dos envolvidos nas irregularidades até o limite de R$ 148.320,00. O valor refere-se ao contrato firmado pelo Município com a empresa ICB Services.

Além do Município e da empresa, a lista de requeridos inclui o prefeito José Ribamar Leite de Araújo (mais conhecido como Mazinho Leite); a assessora jurídica da prefeitura, Edna Maria Andrade, e o advogado Igor Lima Castelo Branco, responsável pela empresa.

ABAIXO-ASSINADO

A ação, ajuizada em 18 de junho, foi formulada pelo promotor de justiça Marcio Antonio Alves de Oliveira, a partir de um abaixo-assinado encaminhado pelos moradores dos povoados de Barão de Tromaí e São José dos Portugueses ao MPMA, em 23 de agosto de 2017.

O MPMA constatou a precariedade da iluminação nos dois locais e verificou, ainda, irregularidades no procedimento licitatório realizado, em 2017, para contratação deste serviço.

Também foi observado que a advogada Edna Maria Andrade possui forte influência na administração municipal. Assessora jurídica da Prefeitura, ela é apontada como principal beneficiária de diversos contratos com o Município, sendo considerada “prefeita de fato”. O Ministério Público também constatou que ela atua de forma velada, por meio de empresas de fachada e em nome de “laranjas”.

Ré em outra Ação Civil Pública do MPMA, a assessora jurídica já foi acionada por nepotismo por manter cinco parentes em um cargo inexistente na estrutura do Município.

INCONSISTÊNCIAS

A sede da ICB Services é localizada em São Luís e não em Cândido Mendes. O Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) verificou que a sede informada é somente uma área de matagal.

Segundo um funcionário da empresa, a manutenção da rede de iluminação é de responsabilidade do prefeito e da advogada Edna Maria Andrade. O funcionário encaminha a lista de materiais necessários à advogada e os materiais são entregues a ele.

Em abril deste ano, em reunião com o MPMA, representantes da Prefeitura informaram que a precariedade dos serviços de iluminação nos dois povoados eram decorrentes do fato de o funcionário da Prefeitura diretamente responsável pelos serviços estar acidentado.

PEDIDOS

Além da indisponibilidade dos bens, o MPMA requer a condenação dos réus ao ressarcimento integral do valor de R$ 148.320,00; à perda da função pública e à suspensão dos direitos políticos de oito a dez anos.

Outras penalidades requeridas são o pagamento de multa civil de até três vezes o valor do acréscimo patrimonial; proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, mesmo que por meio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de dez anos.

O Ministério Público também solicita a condenação dos réus ao pagamento conjunto de danos morais de R$ 200 mil, a serem transferidos ao Fundo Estadual de Defesa dos Direitos Difusos.