Bombeiros localizam mais dois corpos em Brumadinho

A tragédia causada pelo rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, a 57 quilômetros de Belo Horizonte, completa hoje (4) 11 dias de buscas. O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais localizou dois corpos de ontem (16) para hoje (17) em Brumadinho, onde uma barragem da mineradora Vale se rompeu. Um corpo estava próximo à Instalação de Tratamento de Minério (ITM) e o outro, na região do Remanso 2. Fragmentos de corpos também foram localizados pelas equipes nas últimas horas.

“Uma ação muito importante que iniciamos no dia de hoje foi o rompimento estrutural [demolição] da estrutura colapsada da ITM com maquinário pesado, inclusive com tesoura hidráulica”, informou a corporação. Esse tipo de acesso, segundo o corpo de bombeiros, é importante na localização de eventuais corpos que estejam em locais até então inacessíveis.

“É um trabalho meticuloso, uma vez que existem cilindros de acetileno e GLP [gás liquefeito de petróleo] no local e atmosferas que demandam utilização de equipamentos especiais para respiração”, acrescentou o texto.

O último balanço da corporação, de sexta-feira (15), aponta que a tragédia no município mineiro deixou, até o momento, 166 mortos – todos já identificados. Há ainda 144 pessoas, entre funcionários da Vale, terceirizados que prestavam serviços à mineradora e membros da comunidade, que continuam desaparecidas.

Fonte: Agência Brasil

Justiça determina o bloqueia 3,1 milhões do secretário e pregoeiro de Paraibano

O juiz da Comarca de Paraibano, Caio Davi Medeiros Veras, determinou o bloqueio de R$ 3,1 milhões em bens do secretário de finanças, Almiran Pereira de Souza, do pregoeiro do Município, Márcio RobertoSilva Mendes, e da empresa J.A.C Construções Ltda, dos empresários João Américo Castro Sá e Gerre Fernandes Sá, por suspeita de desvios de verbas públicas.

A decisão foi a pedido do Ministério Público, que aponta diversas irregularidades em processos licitatórios, cujo objetos eram a limpeza urbana, reforma da rodoviária, ampliação do estádio de futebol, de um parque de vaquejada e a locação de veículos.

Ainda de acordo com o MPMA, a empresa vencedora dos pregões presenciais não tem capacidade técnica para atuar no Município. Além da indisponibilidade dos bens, a Promotoria pediu o afastamento de Almiran e Márcio dos cargos públicos.

O valor bloqueado é um conjunto de 6 decisões do magistrado.

Decisão 1

Decisão 2

Decisão 3

Decisão 4

Decisão 5

Decisão 6

Homem suspeito de bater e estuprar idosa em Zé Doca é preso pela Polícia

Foi preso ontem, quarta-feira (06), um homem como suspeito de ter espancado e depois estuprado uma anciã de 68 anos na cidade de Zé Doca.

Davi Gomes Neves ( foto abaixo) escapou de ser linchado quando foi pego por populares revoltados com tamanho crime brutal. 

Policiais chegaram a tempo e evitaram o linchamento e depois constataram que a idosa sofre de distúrbios mentais e por causa das agressões ficou com ferimentos no rosto e em várias partes do corpo, inclusive com hemorragia.

O que mais deixou os populares indignados foi o fato da idosa gritar bem alto por socorro, ser encontrado com ferimentos, e o tarado informar que o sexo foi consentido.

Gás de cozinha está mais caro a partir desta terça-feira

O botijão de até 13 quilos de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) residencial está mais caro a partir desta terça-feira (5). O novo preço médio do produto, anunciado na segunda-feira (4) pela Petrobras, será de R$ 25,33.

No último ajuste, feito em novembro do ano passado, o preço determinado foi de R$ 25,07. O produto tem reajustes trimestrais.

O Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) informou, em nota, que o reajuste vai variar entre 0,5% e 1,4%, de acordo com o polo de suprimento. O Sindigás calcula que o valor do GLP empresarial está 13,4% acima do GLP para embalagens até 13 quilos.

Fonte: O Dia

Homicídios caem 33% em janeiro na Grande São Luís

O número de homicídios na Grande São Luís caiu 33% em janeiro deste ano na comparação com o mesmo mês do ano passado, de acordo com o balanço mensal divulgado pela Secretaria de Segurança Pública.

Em janeiro de 2018, foram registrados 39 casos. Em janeiro de 2019, o total caiu para 26.

Quando comparado a janeiro de 2014, a queda é ainda mais acentuada. Naquele mês, tinham sido 87 homicídios. Em quatro anos, portanto, a queda foi de 70%.

A queda sistemática tem sido possível graças aos investimentos feitos na Segurança Pública. Hoje o Maranhão tem 15 mil policiais, o maior número da história. Mais de mil viaturas novas foram entregues em quatro anos. Dezenas de prédios para a Segurança Pública foram reformados ou construídos. Cerca de 9 mil policiais receberam promoções.