Instituto Ibope admitiu falhas em pesquisa divulgada às vésperas das eleições

O Instituto Ibope admitiu falhas no levantamento para as disputas eleitorais para o governo do Maranhão e para o Senado na pesquisa de intensão de votos divulgada na última quinta-feira, 4. A margem de erro, por exemplo, não foi de 3 pontos percentuais para mais ou para menos e sim oito pontos percentuais em São Luís.

Os equívocos foram admitidos em nota enviada à coligação “Maranhão quer mais” pelo Instituto Ibope, que também mostrou que na capital maranhense, maior eleitorado do estado com mais de 660 mil eleitores – foram entrevistados somente 168 pessoas.

“Em São Luís temos apenas 168 entrevistas, o que não é suficiente para estimar as intenções de votos na capital, uma vez que a margem de erro amostral é de 8 pontos percentuais para mais ou para menos. O cruzamento foi fornecido apenas como um indicativo”, afirmou em e-mail enviado a coligação “Maranhão quer mais”.

Os equívocos foram admitidos em nota enviada à coligação “Maranhão quer mais” pelo Instituto Ibope.

As explicações enviadas em nota pelo Ibope foram assinadas Camila Camargo Passarelli, analista de atendimento e planejamento do instituto.

O Ibope admitiu ainda que as entrevistas feita na pesquisa podem não ter atingido os efeitos do debate da TV Mirante realizado na terça-feira (2).

“Ou seja, a pesquisa pode não ter pego um possível efeito do debate na capital – admitiu”, explicou o Ibope.

Em nota oficial encaminhada à imprensa, a coligação “Maranhão quer mais” afirma que o resultado da pesquisa Ibope pode influenciar no resultado das eleições, o que pode caracterizar crime eleitoral.

“É inaceitável que tal levantamento seja divulgado à população às vésperas da eleição, podendo induzir o eleitorado com dados que não condizem com as intenções de voto mostradas em pesquisas sérias, e visíveis nas atividades públicas de campanha”, diz a nota.

Veja, na íntegra, a nota divulgada pela Coligação Maranhão Quer Mais

A Coligação Maranhão Quer Mais (MDB, PV, PSD, PSC, PMB, PRP) solicitou, nesta quinta-feira (4), o detalhamento da Pesquisa Ibope registrada sob o no. MA-07570/2018, contratada pela Televisão Mirante LTDA. O requerimento foi motivado pelos números que a Coligação considera duvidosos sobre a intenção de votos divulgada pelo Instituto no Maranhão.

Como resposta (documento em anexo), o Ibope informou que “em São Luís, temos apenas 168 entrevistas, o que não é suficiente para estimar as intenções de votos na capital, uma vez que margem de erro amostral é de 8 pontos percentuais para mais ou para menos. O cruzamento foi fornecido apenas como um indicativo”.

Nas informações fornecidas, o Ibope admite a fragilidade no método utilizado para chegar ao resultado da mais recente pesquisa, que tem até 16% de possibilidade de oscilação na margem de erro e não apenas de 3 pontos percentuais como divulgado ontem. O mais absurdo: na tentativa de encontrar um cenário mais próximo do ‘real’, o Ibope decidiu comparar e equiparar seus números com os de outros institutos locais, de credibilidade sob suspeita neste processo eleitoral e cujos levantamentos foram feitos em períodos diferentes, antes do debate entre os candidatos. “A pesquisa pode não ter pego um possível efeito do debate”, reconheceu o Ibope. É um claro reconhecimento do Ibope de sua incapacidade de retratar a verdadeira vontade do eleitorado maranhense.

Desta forma, considerando ser público e notório que o Ibope errou na maioria das pesquisas realizadas no Maranhão, a coligação Maranhão Quer Mais repudia com veemência os números de intenções de voto para governador e senador divulgados pelo Instituto às vésperas do primeiro turno das eleições.

É inaceitável que tal levantamento seja divulgado à população às vésperas da eleição, podendo induzir o eleitorado com dados que não condizem com as intenções de voto mostradas em pesquisas sérias, e visíveis nas atividades públicas de campanha.

Por todo o exposto, repudiamos a pesquisa do Ibope, e conclamamos a população a registrar nas urnas o verdadeiro desejo de votar em Roseana Sarney para governadora, e em Sarney Filho e Edison Lobão para o Senado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *