Homem que aliciou menor tentou subornar policiais por R$ 6 mil para não ser preso

Quebrou a cara o homem que tentou subornar os policiais que fizeram sua prisão por aliciar uma menina de 11 anos em Bom Jardim. Ele ofereceu aos policiais R$ 6 mil para dizer que não tinha sido encontrado na zona rural daquela cidade.

Identificado como Miguel Sousa Silva (foto acima) foi preso por suspeita de aliciar uma menina de 11 anos da zona rural de Bom Jardim, a 275 km de São Luís. De acordo com a Polícia Civil, ele usava um aplicativo de conversa para enviar e pedir fotos das partes íntimas da criança.

Uma equipe de policiais civis e militares foi até o povoado Novo Caru, a 60 km de Bom Jardim, para prender Miguel. Com ele foram apreendidos alguns aparelhos celulares e neles foram encontradas várias mensagens trocadas com outras vítimas.

Fonte: Luis Cardoso

Colisão frontal entre carro e Moto deixa um morto em Estreito-MA

Acidente aconteceu no km 116 da BR 010 — Foto: PRF/DivulgaçãoUma colisão frontal no km 116 da BR 010, na cidade de Estreito-MA, a 756 km de São Luís-MA, deixou uma pessoa morta na noite deste sábado (16). O acidente envolveu uma Hilux e uma moto Honda Titan, onde o condutor da moto acabou falecendo no local.

Segundo a PRF, o motociclista ainda não foi identificado. Ainda não foi divulgado quantas pessoas estavam no veículo e qual o estado de saúde exato de quem conduzia a Hilux.

Fonte: G1MA

Cléber Verde envolvido em denúncia de uso de laranjas na eleição de 2018

Um levantamento do Jornal Nacional, feito com base nas prestações de contas registradas nos tribunais regionais eleitorais, aponta que ao menos 51 candidatos a deputado federal e estadual podem ter servido na última eleição como laranjas para que partidos desviassem recursos do fundo eleitoral.

A crise política que envolve o ministro Gustavo Bebianno (Secretaria Geral), sob ameaça de demissão, teve origem na denúncia de que, durante a campanha eleitoral do ano passado, quando era presidente do PSL, uma candidata do partido em Pernambuco recebeu R$ 400 mil em recursos públicos do fundo e obteve somente 274 votos.

O Jornal Nacional analisou dados de 24.765 candidatos a deputado estadual e federal. Foi feito um cruzamento de informações de quanto os candidatos receberam dos fundos e o número de votos que obtiveram.

O cruzamento foi feito criando um indicador de custo por voto – quanto mais dinheiro público os partidos tiverem repassado ao candidato e menos votos ele tiver recebido, maior esse custo.

Para um comparativo, nenhum candidato eleito em todo o país teve um custo por voto maior do que R$ 190.

O Jornal Nacional analisou as contas de candidatos que tiveram um custo por voto pelo menos dez vezes maior do que isso, recebeu recursos públicos e não foi eleito. São 51 candidatos, que juntos receberam mais R$ 8 milhões.

Esses 51 candidatos estão espalhados por 18 estados e 18 partidos.

Desses, 45 são mulheres. Isso é relevante porque o Tribunal Superior Eleitoral decidiu que pelo menos 30% dos recursos do fundo eleitoral devem ser destinados a candidaturas femininas.

Casos

Maranhão

No Maranhão, uma candidata usou dinheiro público para confeccionar mais “santinhos” de campanha do que a população do estado inteiro. O estado tem 7 milhões de habitantes.

Em São José de Ribamar, na região metropolitana de São Luis, a candidata a deputada estadual Marisa Rosas, do PRB, mandou fazer 9 milhões de “santinhos”. De acordo com a prestação de contas à Justiça Eleitoral, ela gastou quase R$ 600 mil com campanha. Obteve somente 161 votos.

Além dos milhões de “santinhos”, ela confirmou que mandou fazer 1,25 mil bottons.

Indagada se é muito material para pouca gente, ela respondeu: “Pode se dizer que sim, se você está mensurando a quantidade do Maranhão, pode até se dizer. Mas, na hora, a gente não trabalha somando bottons, a mesma coisa do ‘santinho’”, disse.

Marisa Rosas disse que confiou nos colegas de partido para contratar as três gráficas que receberam, só dela, R$ 540 mil.

Ela disse que confiou na gráfica e no partido. “Não só na gráfica, porque a gráfica mandava entregar no diretório, na central do partido”, afirmou.

Uma das gráficas fica em Tuntum, a 450 km de São Luís. Só nessa gráfica, segundo a prestação de contas, ela gastou R$ 460 mil.

A gráfica pertence a um filiado ao partido. Recebeu outros R$ 580 mil reais para confeccionar material de campanha para o deputado federal Cleber Verde, presidente do diretório estadual do PRB.

Cabe ao presidente do diretório participar da decisão sobre onde são aplicados os recursos eleitorais.

O PRB declarou que, no ano passado, determinou que os candidatos deviam assinar um termo assumindo a responsabilidade pela correta aplicação dos recursos do fundo de financiamento, prestar contas e devolver o que não usaram na eleição. E isentando o diretório nacional de responsabilidades por má gestão.

O PRB afirmou que acredita na participação feminina na política, mas que a obrigatoriedade de um percentual de vagas para mulheres precisa ser rediscutida.-

O deputado federal Cléber Verde (PRB-MA) declarou que os recursos da cota de mulheres foram usados única e exclusivamente nas campanhas delas. Segundo ele, a gráfica foi escolhida pela qualidade e pelo preço acessível.

Verde também disse que Marisa das Rosas é militante do partido e que o resultado de uma eleição é imprevisível para qualquer candidato.

O TRE do Maranhão declarou que a prestação de contas de Marisa das Rosas está sendo analisada.

Fonte: Globo.com

Gráfica de suposto esquema de Cléber Verde tem contratos de R$ 740 mil em Codó

A gráfica L. Ferreira Paz Sousa, citada em reportagem do Jornal Nacional em suposto esquema de candidaturas laranjas que envolve o deputado federal Cléber Verde, do PRB, tem contratos da ordem de R$ 740 mil com a Prefeitura de Codó.

Ao todo, segundo levantamento publicado em abril do ano passado pelo blog do Marcos Silva, foram sete contratos assinados pela gestão Francisco Nagib (PDT).

A empresa é sediada em Tuntum, no interior do estado.

Laranja?

De acordo com o JN, na campanha do ano passado a candidata a deputada estadual Marisa Rosas, do PRB, mandou fazer 9 milhões de “santinhos”.

De acordo com a prestação de contas à Justiça Eleitoral, ela gastou quase R$ 600 mil com campanha – R$ 460 mil só na gráfica de Tuntum – e obteve somente 161 votos.

Carutapera: População faz serviço que prefeitura deveria fazer

Cansados de ver a situação de descaso e abandono em que se encontra todo o município de Carutapera, onde a gestão de volta ao progresso nada tem feito para o tal progresso chegar, alguns cidadãos residentes na comunidade de Livramento, maior povoado do município de Carutapera, reuniram-se ontem a noite (15/02) na praça que fica enfrente a escola Ver. Otávio Lauro Corrêa e após a ajuda destes, hoje pela manhã foi pago uma pessoa que tem uma roçadeira para efetuar o serviço de limpeza, com a retirada do grande mato, conforme imagens abaixo. É lamentável ver a população ter que fazer o trabalho que deveria ser desempenhado pela prefeitura.

E este atuante grupo de moradores, já pagou em outra ocasião para limpar o abandonado cemitério, e já planeja comprar daqui a alguns dias lâmpadas para os postes, já que a escuridão é grande, e as pessoas têm que andar a noite com a atenção redobrada, mesmo pagando uma alta taxa de iluminação pública. Livramento mesmo sendo o maior e mais desenvolvido povoado do município de Carutapera, e além de ter um vereador residente e filho da terra, está esquecido assim como todo o município pela gestão das grandes festas.